Onde as Peras Caem

ONDE AS PERAS CAEM – (continuar a ler)

“Nana Ekvtimishvili dá voz àqueles que em silêncio gritam: “Porque me fazem isto?”. Recordando o conforto das palavras de Simone Weill, podemos dizer que, no fundo de um coração humano, sempre que surge tal lamento infantil, há certamente injustiça. Ora, com Nana Ekvtimishvili essa injustiça é vivida de dentro. A dor surge nua, não vestida, e a carne do leitor estremece. Por esse motivo, esta obra tem a qualidade pouco comum de conter uma experiência autêntica de uma vida outra, estrangeira, em que os esquecidos, os idiotas, os imbecis vivem e sobrevivem enlaçados uns nos outros.”